KARINA BUHR

Temas antagônicos permeiam o quarto disco de Karina Buhr. De um lado a raiva, as injustiças, as guerras diárias. Do outro, a tranquilidade, a natureza, o amor e o humor. Enquanto enxerga o desmanche social e político do Brasil, ela grita com a energia do punk rock. Mas é preciso também respiros. E o outro lado do universo desse disco traz a delicadeza irônica de uma poeta que pode combinar amor com amora e que reverencia os peixes tranquilos do rio. O disco Desmanche é isso: yin e yang, pulso firme e malemolência.

Em seu quarto álbum solo, a multiartista (multi porque Karina Buhr é escritora, artista plástica, cantora, compositora, produtora musical, poeta, atriz e percussionista) traz de volta à cena seus tambores, instrumentos que a introduziram no universo musical em 1994, nos maracatus Piaba de Ouro e Estrela Brilhante do Recife, em cavalos marinhos, afoxés e rodas de coco em Pernambuco. Este disco (e show) não tem bateria: é percussão no talo, guitarra, baixo e programações eletrônicas, que se desdobram para criar diferentes climas.

Scroll to top